Peer Grimm/Efe
Peer Grimm/Efe

Alemanha: Merkel quer negociação rápida para formar governo

Após vencer eleição, chanceler alemã negocia aliança para pôr fim a coalizão com Partido Social-Democrata

28 de setembro de 2009 | 09h41

A chanceler alemã, Angela Merkel, vencedora das eleições legislativas deste domingo na Alemanha deve se reunir nesta segunda-feira com o líder do Partido Liberal (FDP), Guido Westerwelle, para discutir detalhes da nova coalizão.

Veja também:

link Merkel, a mulher mais poderosa do mundo

"A Alemanha deve ter um novo governo rápido", disse Merkel. " Seria ótimo se eu pudesse cumprimentar líderes estrangeiros no dia 9 de novembro com um novo gabinete"

 

A união do Partido Democrata Cristão com os Partido Social Cristão Bávaro(CDU/CSU) negociava uma coalizão com os liberais já durante a campanha eleitoral. Westerwelle deve ocupar provavelmente a pasta de Exteriores no novo gabinete ministerial.

No seu discurso de vitória, Merkel disse que quer ser chanceler de todos os alemães em um momento de crise e que seu maior objetivo é proteger e criar postos de trabalho.

"Nós podemos realmente festejar hoje, mas depois disso nós temos uma tarefa dura pela frente", disse Merkel no domingo.

Enquanto isso, as cúpulas dos diferentes partidos com representação no Bundestag, o Parlamento federal, fazem reuniões para analisar os resultados do pleito. A oposição deve ser formada pelo Partido Social-Democrata (SPD), Partido Verde, e União de Esquerda.

Resultados

Os resultados finais provisórios das eleições legislativas alemãs, realizadas neste domingo, confirmaram a vitória da atual chanceler.

O Escritório Federal Eleitoral informou hoje que os partidos da União - democratas-cristãos e social-cristãos bávaros (CDU/CSU) - receberam 33,8% dos votos, 1,4 ponto a menos que quatro anos atrás.

Já o Partido Social Democrata (SPD) sofreu sua pior derrota desde a fundação da República Federal da Alemanha, há 60 anos. Na comparação com o pleito de 2005, o eleitorado da legenda encolheu 11,2 pontos, já que ontem obteve 23% dos votos.

Os liberais (FDP), os grandes vencedores da eleição e que voltarão ao governo após três legislaturas na oposição, tiveram o apoio de 14,6% dos eleitores, 4,8 pontos a mais que há quatro anos.

A União de Esquerda (11,9%/+ 3,2 pontos) e os Verdes (10,7%/+ 2,6 pontos) também melhoraram seu desempenho. O Partido Pirata, que disputou seu primeiro pleito, recebeu apenas 2% dos votos, ficando de fora do Parlamento.

Segundo as autoridades, a participação nas eleições foi de 70,8%, inferior à de 77,7% do pleito de 2005 e a menor desde a fundação da Alemanha. De acordo com os números apresentados, a CDU/CSU ocupará 239 cadeiras do Parlamento; o SPD, 146; os liberais, 93; o A Esquerda, 76, e os Verdes, 68.

 

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaMerkeleleições na Alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.