Alemanha ordena que pessoal de embaixada deixe Cartum

A Alemanha ordenou que alguns funcionários deixem sua embaixada no Sudão e ampliou a segurança da missão em Cartum depois de ela ter sido atacada na sexta-feira por manifestantes furiosos com um filme anti-islâmico feito nos Estados Unidos.

Reuters

16 de setembro de 2012 | 10h24

Uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores em Berlim disse que a quantidade de funcionários na embaixada em Cartim foi reduzida, embora não tenha dado números. Ela explicou que pessoal adicional de segurança foi enviado para proteger o prédio.

A situação estava tensa na embaixada em Cartum, mas calma no momento, disse ela.

Cerca de 5 mil pessoas que protestavam contra o filme que insulta o profeta Maomé do lado de fora da embaixada entraram no prédio na sexta-feira e hastearam uma bandeira .

Elas destruíram janelas, câmeras e móveis no complexo alemão e então atearam fogo, disseram testemunhas.

Não estava claro porque a emabaixada alemã foi escolhida desde que o filme foi feito nos EUA e a irritação muçulmana levou a ataques a missões diplomáticas dos EUA em uma série de países muçulmanos.

(Reportagem de Petra Jasper)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHACARTUM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.