Alemanha procura dez por ligações com plano de atentados

Após desarticular atentado maior do que Madri e Londres, Polícia busca suspeitos de integrar célula terrorista

Agências internacionais,

06 de setembro de 2007 | 08h39

As autoridades alemãs procuram por pelo menos outras dez pessoas suspeitas de ligação com a mesma rede terrorista de três homens detidos no país na terça-feira, 4. De acordo com a polícia, o grupo pretendia matar um grande número de pessoas, provavelmente mais do que nos ataques de Londres e Madrid.Os três homens foram presos quando transportavam materiais químicos que serviriam para a construção de uma bomba. O grupo já vinha sendo observado pela polícia há várias semanas e os preparativos para os atentados já estariam bastante adiantados.O secretário do Ministério do Interior alemão, August Henning, declarou nesta quinta-feira, 6, que os oficiais buscam por "cerca de 10 pessoas", incluindo alemães, turcos e suspeitos de outras nacionalidades. Henning disse ainda que os procurados podem estar não só na Alemanha, mas também no exterior.Henning garantiu que a célula terrorista desarticulada deixou de oferecer perigo à população. Mas avisou que entre os radicais islâmicos "existe a missão de cometer atentados na Alemanha", o que "preocupa" as autoridades. Além disso, o secretário ressaltou que as detenções confirmam os perigos na internet, meio através do qual os terroristas "se doutrinam e se comunicam".A captura dos três ativistas da União para a Jihad Islâmica, dois alemães e um turco, reabriu a discussão sobre a reforma da lei que permitiria à polícia revistar"online" os computadores pessoais. O ministro do Interior, Wolfgang Schäuble, defende a medida "em casos excepcionais bem justificados", para entrar nos computadores de pessoas suspeitas de atividades terroristas. Diálogo com muçulmanosO presidente do Escritório Federal Criminal, Jörg Ziercke, disse nesta quinta que a situação de perigo iminente diminuiu. Porém, Ziercke expôs a necessidade de se aproximar mais dos ambientes islâmicos na Alemanha e "buscar o diálogo com a comunidade muçulmana".Comentando a detenção dos três supostos terroristas, Ziercke se referiu à preparação de "um plano maquiavélico" por parte do comando, que alimentava "um incrível ódio pelos americanos". Ele insistiu em que "não houve um perigo concreto para os aeroportos, mas as intenções dos terroristas apontavam nessa direção". O objetivo dos acusados seria atacar alvos dos Estados Unidos na Alemanha.Em entrevista coletiva após o anúncio das prisões, nesta quarta, a procuradora federal alemã, Monika Harms, informou que não poderia confirmar relatos de que os acusados tinham como objetivo atacar o aeroporto de Frankfurt e a base militar dos EUA em Ramstein, mas disse que eles estavam observando instalações como discotecas, bares e aeroportos.As prisões aconteceram no mesmo dia em que a polícia dinamarquesa prendeu oito jovens muçulmanos que supostamente planejavam um ataque a bomba e que teriam ligações com a Al-Qaeda. Autoridades alemãs não afirmaram se há uma ligação entre os presos e o suposto plano na Dinamarca.A Alemanha, que tem soldados no Afeganistão, está em um alto nível de alerta para ataques. O país teme um reaparecimento de grupos militantes islâmicos desde 2001, quando a cidade de Hamburgo foi usada como base para o planejamento dos ataques de 11 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoAlemanhapresos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.