Aliado de Hollande deixa cargo em meio a acusação de conflito de interesse

Um assessor do presidente francês, François Hollande, deixou o cargo nesta sexta-feira em meio a acusações de conflito de interesses ligado ao seu trabalho para empresas farmacêuticas, aumentando a pressão sobre o impopular líder socialista semanas antes das eleições europeias.

Reuters

18 de abril de 2014 | 10h32

Aquilino Morelle, chefe de comunicações de Holland, autor de discursos e importante estrategista político, negou denúncia do website investigativo Mediapart de que ele não conseguiu obter autorização para o trabalho de lobby quando era um empregado dos serviços de inspeção de saúde pública.

O furor é mais um golpe para Hollande, após importantes perdas de seu partido nas eleições municipais, no final de março.

"O senhor Aquilino Morelle ofereceu sua renúncia ao presidente da República", disse um funcionário do escritório de Hollande.

Com uma taxa de desemprego acima dos 10 por cento, a aprovação de Hollande é a mais baixa entre líderes franceses nos últimos 50 anos, e as pesquisas sugerem que os socialistas poderiam perder feio para os conservadores da oposição e da Frente Nacional, de extrema-direita, na votação para o Parlamento Europeu, em maio.

(Reportagem de Julien Ponthus)

Tudo o que sabemos sobre:
FRANCAALIADOHOLLANDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.