Ameaça a executivo italiano partiu de 'mitomaníaco', diz Finmeccanica

A ameaça de morte dirigida a Giuseppe Orsi, presidente e executivo-chefe da empresa bélica e aeroespacial italiana Finmeccanica, foi feita por um "mitomaníaco", e não pelo grupo radical esquerdista Brigadas Vermelhas, disse uma fonte da companhia nesta sexta-feira.

REUTERS

18 Maio 2012 | 10h27

A mensagem "Morte a Orsi" e uma estrela de cinco pontas, símbolo das Brigadas, foram achadas num muro de uma subsidiária da estatal, a Ansaldo Energia, em Gênova.

Roberto Adinolfi, executivo-chefe da Ansaldo, foi baleado na perna em 7 de maio, num atentado reivindicado por um grupo anarquista.

Uma fonte da Finmeccanica disse que, após averiguações iniciais, os investigadores concluíram que a mensagem escrita a lápis na Ansaldo "não pode de forma alguma ser vinculada a círculos subversivos, mas é uma ação de um mitomaníaco".

A atual crise econômica na Itália tem motivado um ressurgimento da violência política, lembrando os "Anos de Chumbo" das décadas de 1970 e 1980.

O atentado contra Adinolfi foi assumido pela Federação Anarquista Informal (FAI), que prometeu agir novamente. Depois disso, a segurança foi reforçada em 14 mil locais, inclusive nas sedes da Finmeccanica.

Sindicalistas realizaram nesta semana uma greve e uma manifestação em Gênova contra a violência.

(Reportagem de Sara Rossi e Danilo Masoni)

Mais conteúdo sobre:
ITALIA FINMECCANICA AMEACAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.