Anistia aponta perda de direitos civis na Rússia de Putin

Os direitos civis na Rússia foramprejudicados durante a Presidência de Vladimir Putin, dissenesta terça-feira a Anistia Internacional, cinco dias antes daeleição presidencial no país que é alvo de críticas doOcidente. Em relatório, o grupo de defesa dos direitos humanosafirmou que novas leis restringindo organizaçõesnão-governamentais, a repressão da polícia a manifestaçõesanti-Kremlin e denúncias de intimidação a críticos do governofazem parte de uma sistemática destruição das liberdades civisna Rússia. "Defensores dos direitos humanos, organizações da sociedadecivil independentes, adversários políticos e cidadãos comunsforam todos vítimas deste revés nos direitos civis epolíticos", apontou o documento. "O espaço para pontos de vista críticos e para a liberdadeda mídia e de organizações independentes está diminuindo." A Rússia elege no domingo um novo presidente. O candidatode Putin, o vice-primeiro-ministro Dmitry Medvedev, é ofavorito para vencer o pleito com facilidade. Adversários do Kremlin dizem que a votação será alvo defraude. A principal entidade eleitoral européia, a Organização paraSegurança e Cooperação na Europa (OSCE), desistiu de monitorara votação, citando as restrições que estavam sendo impostas aseu trabalho. O Conselho da Europa disse temer que as eleiçõesnão sejam suficientemente livres ou justas. Entretanto, pesquisas de opinião mostram que a maioria dosrussos apóia Medvedev, homem de confiança do popular Putin, queé visto por muitos eleitores como responsável pela regeneraçãoda economia do país. O Kremlin afirma que está comprometido com os direitoshumanos e a democracia, mas acusa governos do Ocidente deusaram os direitos como arma política para tentar limitar oressurgimento russo no cenário internacional. No ano passado, a polícia respondeu a diversasmanifestações de rua contra o Kremlin, e vários casos deassassinatos ou mortes suspeitas de jornalistas críticos dogoverno seguem sem solução. (Por James Kilner)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.