Annan pede união de potências para acabar com violência na Síria

O mediador internacional Kofi Annan condenou nesta quarta-feira o derramamento de sangue na Síria e disse que a atual situação ressalta a necessidade urgente de uma ação decisiva pelas potências mundiais para acabar com a violência e abrir caminho para uma transição política.

Reuters

18 de julho de 2012 | 18h20

Annan, enviado conjunto da ONU e da Liga Árabe, disse em comunicado divulgado por seu porta-voz, Ahmad Fawzi, em Genebra: "O Enviado Especial Conjunto condena todo o derramamento de sangue e a violência em todas as suas formas e acredita que a violência de hoje apenas ressalta a urgência de uma ação decisiva do Conselho (de Segurança da ONU)."

A explosão de um homem-bomba matou três militares do alto escalão do presidente sírio, Bashar al-Assad, em Damasco nesta quarta-feira, disseram forças de segurança, o pior golpe ao alto comando de Assad na rebelião de 16 meses no país.

Mais conteúdo sobre:
SUICAANNANSIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.