Apoio à independência da Escócia cai na véspera do referendo, revelam pesquisas

Apoio à independência da Escócia cai na véspera do referendo, revelam pesquisas

Partidários contra e a favor à separação tomaram as ruas para um último dia de campanha

ANGUS MACSWAN E GUY FAULCONBRIDGE, REUTERS

17 de setembro de 2014 | 07h41

Na véspera do histórico referendo da Escócia, as pesquisas de opinião nesta quarta-feira mostraram o apoio à permanência no Reino Unido ligeiramente mais forte do que o dos eleitores favoráveis à independência, mas dezenas de milhares de cidadãos ainda estão indecisos.

Os líderes e partidários de ambos os lados tomaram as ruas para um último dia de campanha na Escócia, dominada pelo entusiasmo e esperança equilibrados por uma boa dose de medo e preocupação.

Os eleitores serão convidados na quinta-feira para responder "Sim" ou "Não" à pergunta: "A Escócia deve ser um país independente". Um voto "Sim" significaria o fim do 307 anos de união com a Inglaterra e a dissolução do Reino Unido, bem como um período de incerteza econômica.

Três pesquisas - dos institutos ICM, Opinium e Survation - mostraram que 48 por cento apóiam a independência, em comparação com 52 por cento de apoio para a união. As pesquisas constataram que de 8 a 14 por cento dos 4,3 milhões de eleitores da Escócia ainda estavam indecisos.

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHAESCOCIAREFERENDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.