Apoio a premiê britânico cresce durante a crise, diz pesquisa

Trabalhistas, de Gordon Brown, diminuem distância de 20 para 4 pontos de popularidade para conservadores

REUTERS

09 de dezembro de 2008 | 08h06

A sorte política do primeiro-ministro Gordon Brown continua a se recuperar enquanto o Reino Unido sofre os efeitos da crise financeira global, mostrou uma pesquisa de opinião na terça-feira, 9. Caso o resultado se repita nas eleições, que devem acontecer em 2010, nenhum partido teria maioria no Parlamento. A pesquisa da Populus publicada pelo jornal Times mostrou que o Partido Trabalhista de Brown diminuiu para 4 pontos a distância para o Partido Conservador, de oposição. A recuperação da popularidade do premiê tem sido notável, pois, há alguns meses, seu partido enfrentava uma rebelião interna e estava mais de 20 pontos atrás do Partido Conservador. A pesquisa mensal colocou o Partido Conservador dois pontos abaixo do levantamento anterior, com 39 por cento de apoio. Já o Trabalhista ficou com 35% a os Democratas Liberais, também de oposição, subiram um ponto e ficaram com 17%. O resultado se deve em grande parte à sensação de que Brown e seu ministro das Finanças, Alistair Darling, são mais bem qualificados para lidar com a economia do que o líder conservador, David Cameron, e seu porta-voz econômico, George Osborne.   As taxas de juros na Grã-Bretanha estão no menor nível desde 1951, enquanto a diminuição do crédito ameaça lançar a economia em uma recessão prolongada.  A pesquisa está em linha com outro levantamento feito pelo ComRes/Independent, no fim de novembro, que pôs Brosn apenas um ponto abaixo dos conservadores.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.