Maxim Shipenkov/AP
Maxim Shipenkov/AP

Após acidente, líder russo diz que país terá de reduzir frota

Acidente com um Yak-42 matou 43 pessoas na quarta, entre elas, 36 membros de um time de hockey

REUTERS

08 Setembro 2011 | 08h06

TUNOSHNA - A Rússia deverá reduzir drasticamente o número de companhias aéreas domésticas, disse nesta quinta-feira, 8, o presidente russo, Dmitry Medvedev, ao visitar o local do acidente de avião que matou 43 pessoas, incluindo 36 integrantes de uma das principais equipes de hockey no gelo do país.

Medvedev afirmou que o governo deverá ajudar a renovar a frota da aviação civil e melhorar o treinamento dos tripulantes.

Fãs e jogadores de todo o mundo homenagearam nesta quinta-feira a equipe do Lokomotiv Yaroslavl, um dia depois que o avião de passageiros Yak-42, projetado no período soviético, caiu às margens de um rio nas imediações de Yaroslavl, situada 250 quilômetros ao norte de Moscou.

O acidente levantou preocupações com a envelhecida frota de aviões da Rússia.

Somente duas pessoas sobreviveram ao acidente com o Yak-42, e estão em estado grave, incluindo um dos jogadores da equipe que estava a bordo.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIAACIDENTEMEDVEDEV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.