Após coma, filha de Fritzl pede para assistir Robbie Williams

Jovem de 19 anos está reunida com a família desde que recobrou a consciência; internação revelou cárcere

Agências internacionais,

11 de junho de 2008 | 11h56

A jovem Kerstin Fritzl, a mais velha dos filhos gerados durante os 24 anos em que Josef Fritzl prendeu e abusou da filha Elisabeth, fez dois pedidos após sair de um coma induzido: ver um show do cantor por Robbie Williams e fazer um passeio de barco, afirmaram os seus médicos e advogados nesta quarta-feira, 11.   Veja também:   Filha de Fritzl encontra mãe e irmãos após coma   Kerstin está reunida com a família em uma residência dentro da clínica Amstetten-Mauer desde o último domingo. Seu estado de saúde ainda é frágil, mas ela já consegue caminhar com a ajuda de outras pessoas. Segundo a BBC, a jovem de 19 anos foi internada no dia 19 de abril no Hospital Regional de Amstetten com um início de falência múltipla de órgãos e foi mantida em coma artificial por 52 dias. Sua internação acabou levando à descoberta do caso de incesto que chocou a opinião pública no mundo inteiro.   "Eu disse, 'Olá Kerstin'. Ela respondeu, 'Olá, uma vida nova'. Desde então, a recuperação tem sido rápida. Antes, no dia 12 de maio, já pudemos reduzir os medicamentos. No dia 15, ela abriu os olhos pela primeira vez e sorriu para nós", afirmou o médico Albert Reiter, que está tratando da jovem.   Reunida com a família e melhor de saúde, Kerstin Fritzl passa agora a receber acompanhamento psicológico pela primeira vez. De acordo com os médicos, ela tem um comportamento típico de uma jovem de 19 anos. "Ela gostaria de fazer um cruzeiro e de ir a um show do Robbie Williams. Mesmo três dias antes de tirarem os tubos, ela ficou até as três da manhã escutando Robbie Williams na cama", contou o diretor da clínica, Berthold Kepplinger.   A expectativa dos médicos que cuidaram de Kerstin Fritzl nas últimas sete semanas e meia é a de uma recuperação completa. A melhora do estado de saúde de Kerstin, de acordo com os médicos, foi possível pelas constantes visitas feitas por Elisabeth Fritzl ao hospital. Para despistar a imprensa, Elisabeth saía da clínica Amstetten-Mauer disfarçada de enfermeira.   Kepplinger, afirmou que a família está muito feliz com a chegada de Kerstin. "Vemos que a família continua num estado muito estável. Mesmo que as duas partes - a que vivia na parte de cima da casa e a que ficava presa no porão - sejam muito diferentes, todos estão se adaptando a esta nova situação", disse. "Para uns, uma novidade pequena como a passagem de uma nuvem é um grande acontecimento; para outros, é algo sem-graça", acrescentou.   O advogado da família, Christoph Herbst, afirmou que Elisabeth Fritzl decidiu que nem ela e nem seus filhos farão aparições em público. Mas ainda não está claro se a família receberá uma nova identidade das autoridades austríacas.   (Com BBC Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
incestoÁustria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.