AP/Vadim Ghirda
AP/Vadim Ghirda

Apuração oficial dá vitória a Basescu nas eleições romenas

Com 99,9% dos colégios apurados, resultado contradiz pesquisas de boca-de-urna que davam vitória ao seu rival

EFE,

07 de dezembro de 2009 | 07h55

O atual presidente romeno, Traian Basescu, venceu nas eleições presidenciais do domingo o seu rival do Partido Social Democrata (PSD), Mircea Geoana, com 50,43% dos votos, segundo os primeiros resultados oficiais.

 

Veja também:

linkPartido derrotado pedirá revisão dos resultados na Romênia

 

Com 99,9% dos colégios apurados, a apuração do Escritório Eleitoral Central contradiz as primeiras pesquisas de boca-de-urna, que davam ao social-democrata uma vitória por dois pontos.

 

Tanto Basescu como Geoana tinham se proclamado vencedores no domingo nas eleições que registraram uma participação de 57,9%, um número muito alta para uma democracia tradicionalmente abstencionista como a romena.

 

Se forem confirmados os resultados parciais, o reformista Basescu ocupará cinco anos mais a Presidência e poderá continuar o projeto de modernização do Estado empreendido em 2004.

Entre as prioridades deste antigo capitão da marinha mercante se encontra a reforma do modelo de Estado e da própria classe política.

 

Com este objetivo, e coincidindo com o primeiro turno das eleições presidenciais, Basescu convocou um plebiscito não vinculativo para adotar o unicameralismo e reduzir para um máximo de 300 o número de parlamentares.

 

Mais da metade dos eleitores foi votar, e o sim às duas propostas arrasou com mais de 75% dos votos a favor.

 

O novo presidente assume um país fortemente golpeado pela crise econômica e sem Governo há quase dois meses.

 

Em outubro, uma moção de censura tombou o Executivo de centro-direita, e as divergências entre o presidente Basescu e o Parlamento frustraram até o momento a posse de um novo gabinete.

 

O rival de Basescu, Mircea Geoana, prometeu designar primeiro-ministro o prefeito independente de Sibiu, Klaus Johannis.

 

Johannis teria contado no Legislativo com o apoio da maioria opositora formada pelo PSD, o Partido Nacional Liberal (PNL) e os autonomista húngaros, cujo voto negativo tombou o primeiro candidato de Basescu.

 

A Romênia precisa de um novo Governo para continuar recebendo o dinheiro do crédito exterior de 20 bilhões de euros contratado em março pela Romênia.

 

A ausência de um executivo capaz de prosseguir as reformas macroeconômicas estipuladas levou o Fundo Monetário Internacional (FMI) - junto com UE e Banco Mundial - a adiar a chegada ao país da verba correspondente ao mês de dezembro.

 

A eleição presidencial que será concluída hoje é considerada no país como a mais importante desde a queda do ditador comunista Nicolae Ceausescu, há 20 anos. Membro da União Europeia, a Romênia enfrenta uma crise econômica e espera receber ajuda do exterior após a disputa nas urnas.

Tudo o que sabemos sobre:
Basescueleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.