Assassino belga morrerá por vontade própria em 11 de janeiro

Um assassino e estuprador belga cumprindo prisão perpétua deve receber permissão para morrer por injeção letal no próximo domingo, depois de uma decisão legal na Bélgica que cede aos presos o direito de exigir a eutanásia, segundo a mídia local.

REUTERS

04 de janeiro de 2015 | 16h09

Frank Van Den Bleeken argumentou que não tem perspectiva de ser libertado porque não consegue controlar os seus violentos impulsos sexuais. Ele terá o seu desejo por um suicídio médico assistido cumprido em uma prisão em Bruxelas, na Bélgica.

Ele disse que quer encerrar os anos de angústia mental.

"A eutanásia será realmente implementada", disse um porta-voz do ministro da Justiça da Bélgica, Koen Geens, ao diário De Morgen. "A hora chegou".

O ministro da Justiça não estava imediatamente disponível para comentários, mas a Reuters publicou em setembro que o ministro deu o seu consentimento, mas ainda não havia marcado uma data.

A decisão judicial foi a primeira envolvendo um prisioneiro desde que a lei de eutanásia foi introduzida 12 anos atrás.

A Bélgica, como o resto da União Europeia, não tem pena de morte.

Tudo o que sabemos sobre:
BELGICAASSASSINO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.