Ataque aéreo na Síria sem aval da ONU seria ato de agressão, diz Rússia

Ataque aéreo na Síria sem aval da ONU seria ato de agressão, diz Rússia

Segundo o porta-voz Alexander Lukashevich, o terrorismo deve ser combatido em "estrita conformidade com as práticas do direito internacional"

REUTERS

11 de setembro de 2014 | 09h35

O Ministério de Relações Exteriores da Rússia disse nesta quinta-feira que ataques aéreos contra militantes islâmicos na Síria sem um mandato do Conselho de Segurança da ONU seriam um ato de agressão, informou a agência de notícias russa Interfax.

"O presidente dos EUA falou diretamente sobre a possibilidade de ataques pelas Forças Armadas dos EUA contra posições do EIIL na Síria, sem o consentimento do governo legítimo", disse o porta-voz Alexander Lukashevich.

"A medida, na ausência de uma decisão do Conselho de Segurança da ONU, seria um ato de agressão, uma grosseira violação da lei internacional", acrescentou.

Em uma entrevista coletiva pouco antes, o porta-voz afirmou que o combate aos militantes islâmicos na Síria e no Iraque só deve ser realizado em conformidade com o direito internacional e com o respeito pela integridade territorial dessas nações.

"É essencial combater esse mal em estrita conformidade com as práticas do direito internacional, as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e as outras da ONU em geral ... e com estrito respeito pela integridade territorial da Síria e do Iraque", disse Lukashevich.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou em pronunciamento na quarta-feira à noite que havia autorizado ataques aéreos dos EUA na Síria e mais ataques no Iraque, em uma ampla escalada da campanha contra o grupo militante Estado Islâmico.

(Reportagem de Alexei Anishchuk)

Mais conteúdo sobre:
RUSSIAEUASIRIALEI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.