Ataque em consulado dos EUA na Turquia deixa seis mortos

Autoridades turcas afirmam que tiroteio é considerado um 'atentado terrorista'; suspeito consegue escapar

Agências internacionais,

09 de julho de 2008 | 06h45

Pelo menos seis pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta quarta-feira durante uma troca de tiros do lado de fora do consulado dos Estados Unidos em Istambul, na Turquia. Oficiais turcos chamaram o incidente de "atentado terrorista" e disseram que os três homens armados que promoveram o ataque e outros três policiais estão entre as vítimas.   Em uma primeira declaração oficial, o governador de Istambul, Muammer Guler, confirmou as seis mortes, de três policiais e de três pessoas que perpetraram o ataque. "Não há dúvida alguma de que isso foi um ataque terrorista. Três policiais foram martirizados e três agressores morreram", disse no local do confronto o governador da província de Istambul, Muammer Guler. Ainda segundo Guler, um policial e o motorista de um caminhão ficaram feridos.   De acordo com a rede de televisão CNN no país, quatro pessoas estavam dentro de um carro e abriram fogo contra oficiais que estavam do lado de fora do prédio. Há relatos de que o tiroteio teria durado cerca de sete minutos. Segundo a BBC, não há relatos de que funcionários do consulado teriam sido atingidos durante o ataque.   O procurador de Istambul Aykut Cengiz Engin afirmou que os homens portavam pistolas e escopetas. A polícia busca um quarto agressor, que teria escapado em um automóvel. "Um deles se aproximou de um policial com uma arma escondida e disparou na cabeça dele", relatou à CNN-Turk Yavuz Erkut Yuksel, que passava pelo local.   Aimprensa turca chegou a afimar que o atentado poderia ter sido executado por membros da rede terrorista Al-Qaeda. O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Sean McCormack, no entanto, disse que não se pode afirmar que o atentado foi perpetrado pela Al-Qaeda. "Eu não posso confirmar estas suspeitas", disse McCormack, que afirmou que os EUA "continuam as investigações com o governo turco para encontrar os responsáveis".   O consulado dos EUA em Istambul foi construído e reforçado após ataques de militantes ligados à Al-Qaeda em 2003 atingirem duas sinagogas, o consulado britânico e um banco britânico na cidade turca. Esses atentados deixaram 58 mortos.   Resposta americana   O tiroteio na entrada do consulado dos Estados Unidos em Istambul, na Turquia, foi "obviamente um ato de terrorismo", segundo afirmou o embaixador americano no país, Ross Wilson. Três policiais e três atiradores foram mortos no incidente desta quarta-feira, 9.   Em entrevista coletiva na capital da Turquia, Ancara, Wilson disse que implementará segurança adicional em todas as missões diplomáticas americanas em solo turco. "Não é adequado especular neste momento sobre quem são os autores responsáveis e quais eram seus objetivos, mas está claro que este é um ato de terrorismo", disse Wilson. Uma porta-voz da Embaixada dos EUA afirmou que não havia vítimas entre os funcionários do Consulado.   Matéria atualizada às 16h10. 

Tudo o que sabemos sobre:
Turquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.