Ataque em oleoduto Turquia-Iraque interrompe fluxo de petróleo

Bombeiros apagaram neste sábado um incêndio em um oleoduto no sudeste da Turquia, que transporta cerca de um quarto das exportações de petróleo do Iraque, mas ainda era incerto quando o petróleo voltaria a circular, afirmaram fontes de segurança.

Reuters

21 de julho de 2012 | 10h27

Eles culparam uma sabotagem de curdos separatistas pela explosão no oleoduto Kirkuk-Ceyhan.

O incêndio começou às 18h (horário de Brasília) de sexta-feira próximo à cidade de Midyat na província de Mardin, perto da fronteira com a Síria.

Autoridades colocaram a culpa do ataque no Partido dos Trabalhadores do Curdistão, um grupo separatista que assumiu a autoria de ataques anteriores no oleoduto de 960 quilômetros.

O website Firat News, que tem ligações com o partido, também afirmou que o grupo estava por trás do ataque.

Insurgentes no Iraque interromperam no passado o transporte de petróleo nesse oleoduto, o maior do país, e falhas técnicas na tubulação de 35 anos, formado por dois canos, também cortaram os fluxos.

(Reportagem de Ayla Jean Yackley e Seyhmus Cakan)

Mais conteúdo sobre:
TURQUIAATAQUEOLEODUTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.