Atenas fica em alerta diante de manifestações nas ruas

Protestos foram convocadas em memória ao assassinato de um adolescente por um policial, há um ano

EFE,

07 de dezembro de 2009 | 08h49

Atenas e outras cidades da Grécia estão hoje em alerta após os violentos distúrbios do fim de semana e diante das grandes manifestações convocadas para nesta segunda, 7, em memória ao assassinato de um adolescente por um policial, há um ano.

 

As manifestações foram convocadas por diversas organizações estudantis, de professores e de trabalhadores para o meio-dia de hoje, mas já antes cerca de 500 alunos do ensino médio tinham bloqueado as avenidas centrais dos subúrbios da capital, informaram à Agência Efe fontes policiais.

 

Além disso, cerca de 100 jovens fizeram uma manifestação nos arredores da delegacia do bairro de Alimo, na parte sudeste de Atenas.

 

Em meio a uma grande mobilização das forças da ordem, o acesso às ruas que cercam o centro de Atenas começava a ser fechado por volta das 6h30 de Brasília, na previsão de uma ida em massa ao comício.

 

Paralelamente, os funcionários do setor público foram convocados por seu sindicato a uma greve de três horas a partir das 8h de Brasília, quando será realizada a manifestação.

 

Mais de 30 pessoas ficaram feridas, e cerca de 500 foram detidas no fim de semana passado em confrontos entre a Polícia e grupos radicais em Atenas e outras cidades, à margem de grandes manifestações pacíficas em lembrança ao primeiro aniversário do assassinato de Alexis Grigoropoulos, de 15 anos.

 

Com a mobilização de 10 mil agentes da ordem em Atenas, o Governo socialista surgido nas legislativas de outubro expressou sua decisão de "tolerância zero" em relação à violência nas ruas, que no ano passado se prolongou por várias semanas e causou perdas de milhões de euros ao comércio e à propriedade pública e privada.

Tudo o que sabemos sobre:
Atenas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.