Atentado com carro-bomba mata guarda civil no país Basco

Outras quatro pessoas foram feridas pela explosão que atingiu um alojamento policial em Legutiano

Associated Press e Efe,

14 de maio de 2008 | 04h02

A explosão de um carro-bomba atribuída ao grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade) provocou a morte de um policial no norte da Espanha nesta quarta-feira, 14. Outras quatro pessoas ficaram feridas.   O alvo do ataque foi um alojamento onde policiais moram com seus familiares em Legutiano, no País Basco. O carro-bomba foi estacionado diante do local. O governo espanhol qualificou o atentado como uma tentativa de massacre. Não houve nenhum telefonema avisando a polícia sobre o ataque. O ETA costuma advertir as autoridades antes de promover um ataque.   Trata-se do primeiro ataque com morte atribuído ao ETA em dois meses. A força da explosão estilhaçou vidros e destelhou parte do alojamento. Pelo menos 29 pessoas estavam no local no momento do atentado, inclusive cinco crianças, disse o ministro espanhol de Interior, Alfredo Perez Bubalcaba.   Também não houve reivindicação do atentado. O ETA, quando ataca, costuma reivindicar a autoria somente semanas ou meses depois da ação.   No dia 30 de dezembro de 2006 a ETA rompeu o cessar-fogo permanente anunciado em março desse ano com o mortal atentado no aeroporto de Madri. O grupo terrorista perpetrou, desde então, 21 atentados, que deixaram seis mortos.   Matéria atualizada às 11h10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.