Ativistas homossexuais criticam declarações de Bertone sobre pedofilia

Secretário de Estado do Vaticano relacionou abusos na Igreja com o homossexualismo

estadão.com.br

14 de abril de 2010 | 11h51

LONDRES - Grupos defensores dos direitos dos homossexuais criticaram as declarações do Secretário de Estado do Vaticano a um jornal chileno relacionando os recentes casos de abuso e pedofilia envolvendo padres ao homossexualismo, informou nesta quarta-feira, 14, a agência de notícias CNN.

 

Veja também:

linkVaticano contesta declarações de Bertone

 

Na terça-feira, o cardeal Tarcísio Bertoni descartou uma relação entre a pedofilia e o celibato sacerdotal e afirmou que os casos são relacionados à homossexualidade.

 

Tony Green, do Movimento Gays e Lésbicas Cristãos, sediado em Londres, disse que os comentários de Bertone não são uma surpresa dados as controversas declarações de representantes da Igreja nos últimos dias. "Claro que nos sentimos afetados, mas não nos chocamos. É como comparar os ataques à Igreja com o Holocausto. São pessoas desesperadas dando respostas desesperadas", disse.

 

O conhecido ativista gay Peter Tatchell também criticou as declarações do secretário de Estado do Vaticano. "O Vaticano está tentando se desvincular dos crimes sexuais cometidos pelos padres e está culpando os gays. Isso é doentio", disse ele à Associação Britânica de Imprensa. "Não há absolutamente nenhuma relação entre a pedofilia e a relação consentida entre adultos gays", completou.

 

O Vaticano respondeu às declarações de seu secretário de Estado e disse que ele não tem competência fazer afirmações de caráter psicológico ou médico sobre estes assuntos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.