Audiência indica culpa de capitão no naufrágio do Concordia

Uma audiência preliminar sobre o naufrágio do navio Costa Concordia, ocorrida nesta semana na Itália, imputou totalmente a responsabilidade do acidente sobre os ombros do capitão Francesco Schettino, disseram promotores na sexta-feira.

Reuters

19 de outubro de 2012 | 19h05

Schettino é acusado de homicídio culposo, por ter agido com negligência na condução do navio, e de ter abandonado a embarcação antes de concluído o trabalho de resgate dos seus mais de 4.000 passageiros e tripulantes. O comandante admitiu ter cometido erros, mas diz que não foi o único culpado.

"A audiência de instrução confirmou a responsabilidade que identificamos, acima de tudo com respeito a Schettino", disse o promotor Francesco Verusio no último dia da audiência judicial a portas fechadas, na localidade de Grosseto.

Os promotores dizem que Schettino causou o naufrágio, em 13 de janeiro, por ter aproximado demais o navio das rochas que cercam a ilha toscana de Giglio, para fazer uma saudação a autoridades e moradores locais.

Mas Schettino diz que evitou uma tragédia maior ao levar o navio para águas mais rasas, e que a empresa Costa Cruzeiros, proprietária da embarcação, sabia da prática de chegar perto da ilha para fazer a saudação.

A empresa nega essa acusação, e também se eximiu de insinuações feitas durante a audiência a respeito de um gerador defeituoso, ou de que teria demorado para avisar autoridades em terra sobre o acidente.

(Reportagem de Silvia Ognibene, Antonio Denti e Hanna Rantala)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIACONCORDIAJULGAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.