Áustria detém jovem de 14 anos por suspeita de terrorismo

Autoridades da Áustria detiveram nesta quarta-feira um menino de 14 anos suspeito de estar planejando viajar à Síria e que tinha pesquisado na Internet como fazer bombas, informaram promotores do país.

REUTERS

29 de outubro de 2014 | 16h27

O menino, um cidadão turco que vive na Áustria há cerca de oito anos, foi posto sob custódia no final da terça-feira.

“Ele admitiu ter planos de ir para a Síria e ter pesquisado esquemas para produzir artefatos explosivos na Internet”, disse Michaela Obenaus, porta-voz da promotoria de St. Poelten, capital da província da Baixa Áustria.

Obenaus afirmou que o menino demonstrou simpatia pelos militantes do Estado Islâmico, que lutam na Síria e no Iraque. “Existe a suspeita de participação em uma organização terrorista”, declarou a porta-voz.

Um juiz decidiu nesta quarta-feira que o garoto deveria ser mantido em custódia investigativa durante duas semanas, disse Obenaus. A maioridade penal começa aos 14 anos na Áustria.

As autoridades já estão investigando cerca de 150 pessoas que partiram da Áustria para integrar as fileiras dos grupos militantes que atuam em territórios sírios e iraquianos. Algumas já foram mortas.

A mídia local especula há meses sobre o destino de duas adolescentes de famílias bósnias que teriam viajado de Viena à Síria para se casarem com combatentes islâmicos.

As garotas de 15 e 17 anos estão listadas como desaparecidas no site da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol, na sigla em inglês), que também exibe uma delas usando um véu com dizeres islâmicos cobrindo seu rosto.

Outros países europeus também estão se empenhando para evitar que jovens radicalizados rumem para o Oriente Médio.

(Por Shadia Nasralla)

Tudo o que sabemos sobre:
AUSTRIAPRISAOJOVEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.