Austríaca vítima de incesto pode pedir indenização do pai

Elizabeth Fritzl e cada um dos filhos presos pelo pai por 24 anos poderão ser indenizados, diz advogado

Reuters,

06 de maio de 2008 | 15h22

Elisabeth Fritzl, aprisionada pelo pai Josep por 24 anos e mãe de sete filhos que teve com ele, pode processá-lo e pedir indenização, disse o advogado da austríaca nesta terça-feira, 5. Fritzl, de 73 anos, manteve Elisabeth e três de seus seis filhos vivos em uma cela sem janelas. Os outros três filhos que ele teve com a filha foram adotados por Fritzl e pela mulher.   Veja também: Austríaco queria usar filha para recriar família, diz investigador  Austríaco acusado de incesto alegará insanidade, diz advogado Austríaco preparou calabouço antes de raptar a própria filha Elisabeth Fritzl isenta mãe de culpa, diz revista  O advogado Christoph Herbst disse que pensa em exigir que Fritzl, que tem quatro ou cinco propriedades em seu nome, pague uma indenização para cada pessoa trancada no porão. "Há a possibilidade de pedir indenização pelo confinamento e pelos danos que decorrem disso", disse Herbst. As propriedades de Fritzl, no entanto, também têm dívidas relacionadas a elas e não se sabe exatamente quanto dinheiro resta, disse. "Agora a questão é avaliar as condições financeiras dele. Ele tem alguma riqueza que faça valer a pena começar o procedimento?", explica o advogado.   Herbst disse que tem a impressão de que as pessoas aprisionadas mantêm uma relação muito boa entre si. "Minha experiência com a família foi muito positiva. Vi que a maneira como eles se tratam é realmente muito amorosa, eles são francos uns com os outros e brincam juntos", declarou.   Reunidos pela primeira vez há pouco mais de uma semana, Elisabeth Fritzl, cinco de seus filhos e a mãe, Rosemarie, agora estão sob os cuidados de um hospital em Amsetten, a cerca de 130 quilômetros a oeste de Viena. "Se você vir a família com os seus próprios olhos, se sentirá muito melhor do que ao considerar o caso teoricamente e à distância", disse o advogado. Os promotores investigam Fritzl por estupro, incesto, coerção e pela morte de um dos bebês nascidos no cativeiro, mortos após o nascimento e incinerado. Ele é o pai de todos os sete filhos que Elisabeth deu à luz no cativeiro.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.