Austríaco confessa ter matado toda a sua família com machado

Homem de 39 anos afirma que quis poupar os familiares do escândalo por perda com especulações financeiras

Efe,

14 de maio de 2008 | 08h52

Um homem de 39 anos confessou ter matado nas últimas 24 horas sua esposa, sua filha, seus pais e seu sogro, informou nesta quarta-feira, 14, a polícia em Viena. Segundo fontes policiais, o suposto assassino declarou que tinha perdido uma grande quantidade de dinheiro, e que havia matado a sua família para "poupá-los da humilhação".   As fontes afirmaram que o homem chegou muito confuso à delegacia, e disse para os policiais que estavam de plantão: "Em meu apartamento estão minha mulher e minha filha mortas". Em seguido, a arma do crime foi encontrada dentro do carro do homem - um machado. Autoridades encontraram os cadáveres de sua mulher e sua filha no apartamento da família; os de seus pais na região de Ansfelden, na Alta Áustria, e o do seu sogro em Linz, a capital desse Estado.   Segundo o diretor da segurança pública da Alta Áustria, Alois Lissl, o suspeito teria tentado se enforcar após cometer os crimes. O responsável de segurança disse à agência de notícias APA que os crimes foram "especialmente cruéis", já que o agressor atacou todas as suas vítimas na cabeça com o machado.   A polícia encontrou várias cartas do agressor, nas quais ele pede desculpas pelos crimes, mas as autoridades ainda não conseguiram descobrir os motivos reais dos assassinatos.   Após matar sua esposa e filha, o suspeito viajou a Ansfelden, onde tirou a vida primeiro de sua mãe, na entrada de sua casa, e depois de seu pai, que estava dormido no sofá.Em seguida, ele viajou a Linz, a poucos quilômetros de Ansfelden, onde atacou e matou seu sogro, relatou Lissl.

Tudo o que sabemos sobre:
Áustriamachado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.