Austríaco queria usar filha para recriar família, diz investigador

Josef Fritzl teria mantido relações incestuosas com filha para formar uma familia igual a que tinha com esposa

Ansa,

05 de maio de 2008 | 14h39

O austríaco Josef Fritzl, que prendeu e violentou sistematicamente sua filha Elisabeth durante 24 anos, em um sótão secreto de sua casa, queria recriar com a filha uma família igual àquela formada com sua esposa, revelou nesta segunda-feira, 5, o chefe da investigação, Franz Polzer.  Veja também:Austríaco acusado de incesto alegará insanidade, diz advogadoAustríaco preparou calabouço antes de raptar a própria filhaElisabeth Fritzl isenta mãe de culpa, diz revista "Seu objetivo era recriar sua velha família com uma de suas filhas", disse Polzer durante uma coletiva de imprensa. "A ironia da história é que ele o conseguiu, ponto por ponto, já que sua filha teve dois gêmeos na mesma época que a geração precedente." Fritzl teve sete filhos com sua esposa Rosemarie, dos quais o quarto e o quinto são gêmeos. Sua filha Elisabeth também deu à luz sete crianças durante a prisão imposta pelo pai, e também o quarto e o quinto nasceram gêmeos. "É um paralelismo singular", comentou o chefe de polícia. Um dos gêmeos de Elisabeth morreu pouco depois de nascer, em 1996. Josef Fritzl confessou ter queimado o cadáver em sua casa. O austríaco havia adotado três de seus filhos com Elisabeth, e os outros três nunca haviam sido do cativeiro até a libertação da família, em 26 de abril.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.