Autores de ataques na Finlândia compraram arma na mesma loja

Estudante que matou 10 adquiriu o revólver a 250 km da escola, mesmo lugar que o jovem do massacre de 2007

Agências internacionais,

25 de setembro de 2008 | 07h38

A polícia da Finlândia encontrou uma ligação entre os dois jovens que perpetraram diferentes massacres em escolas em menos de um ano. Fontes da investigação descobriram que tanto Matti Saari, autor do ataque desta semana em Kauhajoki, que matou dez pessoas, como Pekka-Eric Auvinen, que matou a tiros oito pessoas em Jokela, compraram suas armas na mesma loja. A polícia suspeita ainda que os dois tenham tido contato um com o outro, provavelmente através da internet ou de e-mails.   Veja também: Cronologia dos ataques contra escolas Veja as imagens do atirador  Assista ao vídeo feito pelo atirador na internet  KMFDM, a banda de rock preferida dos assassinos   Saari, de 22 anos, comprou sua arma calibre 22 em uma loja em Jokela, cerca de 250 quilômetros da cidade em que vive e cometeu o ataque, Kauhajoki. "Suas ações aparecem tão similares que eu acharia um milagre se nós não encontrássemos algum elo de ligação", disse o investigador-chefe, Jari Neulaniemi, de acordo com a agência de notícias finaldesa STT. Neulaniemi afirmou ainda que as licenças para posse de arma de Saari e Auvinen indicaram que os artefatos foram comprados na mesma loja em Jokela.   Segundo a BBC, os investigadores finlandeses se negaram a dar mais detalhes sobre o caso mas, de acordo com o jornal britânico Daily Telegraph, há temores de que o país pode estar enfrentando uma rede de potenciais assassinos em escolas ligados uns aos outros pela internet. A inspeção do computador pessoal que a polícia confiscou no apartamento de Matti Saari poderia confirmar ele chegou a manter contato com Auvinen.   As novas informações se somam à lista crescente de similaridades entre os dois casos: ambos os homens colocaram vídeos ameaçadores no site YouTube antes dos ataques; ambos tinham um fascínio pelo massacre ocorrido em uma escola em Columbine, nos Estados Unidos, em 1999 e voltaram as suas armas contra si mesmos no final. Mas, até agora os investigadores não estabeleceram uma ligação direta entre os dois atiradores.   O ataque em Kauhajoki chocou a Finlândia, e o governo agora está estudando a hipótese de tornar mais rigorosas leis que regem a posse de armas que estão entre as mais liberais da Europa. "Em termos de pistolas que podem ser transportadas facilmente, nós temos que pensar se elas devem ficar disponíveis para indivíduos privados. Na minha opinião, elas devem ser mantidas em estandes de tiro", disse o primeiro-ministro do país, Matti Vanhanen, na quarta-feira. Embora a Finlândia tenha dito que iria estudar novas leis depois do ataque do ano passado em Jokela, nenhuma mudança foi feita e adolescentes com 15 anos ainda podem possuir armas.   O país tem uma longa tradição de caça e posse de armas. Uma pesquisa internacional de armas de pequeno porte em 2007 estimou que há um total de 2,9 milhões de armas de fogo para uma população de 5,2 milhões de pessoas. Também deverá ser lançada uma investigação sobre como a polícia lidou com este mais recente incidente envolvendo armas de fogo e o papel na internet.   Saari foi interrogado pela polícia um dia antes do ataque mas não foi detido. Vanhanen também disse que as autoridades deveriam examinar se há necessidade de mudanças no monitoramento da internet. "Os fóruns na internet e no YouTube (...) não são um outro planeta. Isto é parte do nosso mundo e nós, adultos, temos a responsabilidade de checar o que está acontecendo, e criar fronteiras e segurança lá", disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
Finlândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.