Autoridades culpam organizador do Love Parade por tragédia

Segundo investigação preliminar, não havia forças de segurança suficientes no local; 21 morreram

AP,

28 de julho de 2010 | 19h44

 

BERLIM- Autoridades alemãs acusaram nesta quarta-feira, 28, o organizador do festival de música eletrônica Love Parade de violar as normas de segurança, o que provavelmente desencadeou a onda de pânico na qual 21 pessoas foram mortas e mais de 500 ficaram feridas.

 

Veja também:

linkMorre 21ª vítima do tumulto do festival Love Parade na Alemanha

 

Os funcionários de segurança da equipe organizadora do evento que ocorreu no sábado não controlaram apropriadamente a área de entrada na qual as vítimas foram pisoteadas, de acordo com o ministro do Interior do estado da Renânia do Norte, Ralf Jaeger, e o chefe de polícia Dieter Wehe.

 

"A segurança não cumpriu com seu dever", disse Wehe ao apresenta as conclusões chave de uma investigação preliminar em uma coletiva de imprensa.

 

Não ficou claro se 150 membros do pessoal de segurança que deveria estar na entrada estavam realmente presentes, disse Wehe, e acrescentou: "Mas o fato é que o pessoal de segurança existente foi insuficiente".

 

Quando os organizadores não conseguiram mais controlar o fluxo de dezenas de milhares de pessoas na área do evento na cidade de Duisburg, recorreram à polícia, disse o chefe policial.

 

O ministro Jaeger declarou que o organizador, Rainer Schaller, não freou o fluxo de pessoas que entravam no túnel quando a situação já era tensa na entrada da área do festival. "O organizador não cumpriu os requerimentos de seu conceito de segurança", disse.

 

Schaller, por sua vez, rechaçou as acusações de negligência, dizendo que seu plano de segurança foi aprovado pela prefeitura. "Sem o selo oficial de aprovação, n[os não teríamos podido celebrar o Love Parade", afirmou.

 

A investigação preliminar deixou muitas perguntas sem serem respondidas a respeito da responsabilidade da prefeitura de Duisburg - responsável por fiscalizar o evento - na tragédia.

 

Wehe disse que a autorização final que continha todos os detalhes organizativos foi entregue à polícia apenas no sábado, após ter sido solicitada reiteradamente. O documento permitia um máximo de 250.000 pessoas na área, apesar dos organizadores esperarem muito mais. Segundo a imprensa alemã, havia até 1,4 milhão de pessoas no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.