Avião da Spanair girou e houve 'forte golpe', diz sobrevivente

Beatriz é uma das 19 pessoas que foram feridas no acidente no aeroporto de Madri, onde 154 morreram

Efe,

26 de agosto de 2008 | 09h58

A espanhola Beatriz Reyes, que sobreviveu ao acidente com um avião da Spanair ocorrido no aeroporto de Barajas, em Madri, na quarta-feira passada, disse nesta terça, 26, que não sentiu nada estranho antes da decolagem do avião, até o momento em que "girou a asa" e depois notou um "forte golpe".   Veja também: ''Combinação de falhas'' derrubou aeronave Assista ao vídeo  Especial: Como foi o acidente na Espanha   Beatriz, de 41 anos, que inclusive conseguiu ajudar duas crianças feridas no local do acidente, compareceu em entrevista coletiva na qual disse que "nasceu de novo" em 20 de agosto. A catástrofe, na qual 154 pessoas morreram - entre elas o brasileiro Ronaldo Gomes Silva - e outras 18 sobreviveram, aconteceu no momento em que um avião MD82 da Spanair, que iniciava viagem para as Ilhas Canárias, bateu contra o chão junto a uma das pistas do aeroporto e se incendiou.   Durante o comparecimento à imprensa, a primeira que oferece uma sobrevivente do acidente, Beatriz reconheceu que ajudou duas crianças a sair dos destroços do avião e afirmou que qualquer pessoa em sua situação teria feito o mesmo. A sobrevivente disse que, quando o avião começou a decolar, "talvez não fez isso com tanta força" como é habitual, e que não sentiu nada até o momento em que "girou a asa" e depois notou "um forte golpe".   Sobre a identificação dos cadáveres, trabalho no qual participa um grande grupo de legistas, fontes do Ministério do Interior espanhol informaram que já foi estabelecida a identidade de 103 das 154 vítimas fatais do acidente. Segundo o último boletim médico, dos 18 feridos, um saiu do hospital. Trata-se de uma criança de seis anos que recebeu alta na segunda-feira.   A Secretaria de Saúde da comunidade autônoma de Madri informou que o estado de Kim Yvonne Tate, que apresenta pneumotórax e traumatismos múltiplos, piorou e passou de grave com evolução favorável para grave. Os outros feridos também permanecem internados, um em situação muito grave, dois graves, três estáveis dentro da gravidade, um grave com evolução favorável, oito com evolução favorável e uma mulher levemente ferida.   A respeito da investigação das causas da tragédia, fontes jurídicas informaram que os responsáveis da comissão constituída pelo governo se reuniram nesta terça com o juiz responsável pela investigação do acidente. Segundo estas fontes, os membros da comissão colocaram ao magistrado vários pedidos para levar adiante o trabalho, e que o juiz aceitou todos eles e já deu as instruções necessárias para que sejam cumpridas.   A comissão oferecerá uma entrevista coletiva no Ministério de Infra-estrutura espanhol na qual informará sobre o procedimento seguido neste tipo de investigação e dos mecanismos iniciados depois do acidente. O chefe do governo das Ilhas Canárias, Paulino Rivero, confirmou que no próximo dia 30 acontecerá em Las Palmas de Gran Canaria um funeral pelas vítimas do avião acidentado.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.