Avião da Spanair tinha problema no reverso, diz jornal

'El País' diz que investigadores acreditam que equipamento estava inoperante, assim como no acidente da TAM

Agências internacionais,

28 de agosto de 2008 | 08h55

O avião da Spanair que caiu que semana passada em Madri, matando 154 pessoas, pode ter decolado com um problema no reverso. De acordo com a edição do jornal El País desta quinta-feira, 28, investigadores que trabalham nos escombros no MD-82 encontraram um dos reversos separado do motor. Quando ativado, o reverso funciona como um freio e se apenas um é acionado, o avião tomba para um lado. A empresa afirmou que não faria comentários. O caso é semelhante ao acidente da TAM no aeroporto de Congonhas, que aterrissou sem um dos reversos funcionando.   Veja também: Especial: Como foi o acidente na Espanha   O histórico de falhas da aeronave cresce. A menos de um mês, um piloto abortou uma decolagem após o piloto ouvir um ruído mais alto que o comum no trem de pouso dianteiro quando o avião se dirigia à pista do aeroporto de Palma, em Mallorca. No dia do acidente, o comandante desistiu da primeira decolagem após detectar problema num aparelho de medição de temperatura. Os mecânicos solucionaram o problema desconectando uma válvula de ar. Além disso, dias antes, os mecânicos também desativaram o reverso da turbina direita.   Um MD-82 pode voar somente com um reverso durante dias, segundo o manual de equipamentos da Spanair, explicaram fontes da companhia ao El País. O sistema ajuda a frear o avião quando está em terra a uma velocidade de cerca de 300 quilômetros por hora. O reverso direito ativado poderia ajudar a explicar porque o avião pendeu para este lado antes de perder o controle e se chocar contra o solo. Durante o tempo em que percorreu a pista e que começou a ganhar altura, a aeronave parecia não ter potência suficiente segundo afirmaram quase todos os feridos, muitos com experiência em viagens aéreas, inclusive pela única sobrevivente da tripulação.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaSpanair

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.