Aviões russos bombardeiam aeroporto militar na Geórgia

O porta-voz do Ministério do Interior georgiano assegurou que nos ataques não foram registradas vítimas

Redação com agências internacionais

10 de agosto de 2008 | 02h01

Aviões russos bombardearam esta madrugada um aeroporto militar próximo à capital georgiana, onde também se escutaram fortes explosões. Veja também: Entenda o conflito separatista na Geórgia Geórgia pede que atletas permaneçam em Pequim Rússia diz desconhecer proposta de cessar-fogo georgiana Medvedev diz a Bush que Geórgia deve retirar exército Rússia ataca cidade da Geórgia fora da região de conflito Presidente georgiano propõe fim imediato das hostilidades Assista ao vídeo no Youtube  Professor comenta a situação no Cáucaso  Galeria de fotos do conflito  O porta-voz do Ministério do Interior, Shota Utiashvili, assegurou que nos ataques não foram registradas vítimas embora o aeroporto tenha sofrido severos danos.   As bombas foram lançadas sobre as instalações do aeroporto, encravado num complexo onde são fabricadas aeronaves militares desde a época soviética.   As forças georgianas travaram este sábado sua primeira jornada de combates contra as tropas de elite russas, que acudiram sexta-feira à noite em ajuda ao regime separatista pró-russo da Ossétia do Sul.   Nos combates participam forças Exército russo, destacadas no Cáucaso Nore e treinadas para combater em regiões montanhosas, assim como da elite dos pára-quedistas russos.   Sem cessar-fogo Terminou sem acordo a terceira reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas em menos de 48 horas sobre o conflito. O Conselho de Segurança da ONU desistiu de emitir um chamamento conjunto para o cessar-fogo na Geórgia, já que os dois lados do conflito não entraram em um acordo durante a terceira reunião de emergência sobre a situação no Cáucaso. 'Lamentavelmente, minha conclusão é de que será muito difícil, se não impossível, encontrar pontos comuns suficientes para elaborar uma declaração conjunta', explicou o presidente em exercício do Conselho de Segurança, o embaixador belga Jan Grauls, após o fim da reunião deste sábado, 9.   'Está claro que o conflito já se estendeu a outras áreas da Geórgia", lamentou Grauls, que também transmitiu a "preocupação de vários membros da ONU pela progressiva e rápida deterioração da situação humanitária, com um crescente número de feridos e refugiados' na região do Cáucaso.

Tudo o que sabemos sobre:
Geórgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.