Babá diz que viu suspeito perto de hotel onde Madeleine sumiu

Funcionária de hotel confirma à Polícia que homem já havia espreitado outra criança meses antes

Efe,

31 de outubro de 2007 | 10h24

Uma babá que trabalhava no hotel onde se hospedou a família da britânica desaparecida Madeleine McCann, em Portugal, confirmou nesta quarta-feira, 31, que viu um homem escondido do lado de fora do apartamento de Gerry e Kate McCann no dia do sumiço da garota, de 4 anos, em maio.   Segundo reportagem publicada pelo jornal Daily Mail, a mulher procurou o grupo de investigadores da família para contar que o homem já havia ficado à espreita em uma casa onde ela cuidava de um garoto de seis anos. O incidente teria ocorrido um ano antes de Madeleine sumir.   A ex-funcionária do Ocean Club, na praia do Algarve, região sul do país, já havia prestado depoimento em junho. A declaração deixa ainda mais intrincado o mistério envolvendo a menina.   Segundo o jornal, a teoria ajuda a explicar a possibilidade de um seqüestrador invadir o apartamento dos McCann enquanto eles jantavam fora. O homem, de aparência portuguesa e cabelos pretos, aparenta ter entre 25 e 35 anos, diz o Daily Mail.   Uma amiga dos McCann, Jane Tanner, em depoimento, também diz que viu um homem sair do apartamento do casal na noite em que a garota desapareceu, carregando uma criança em seu colo.   Suspeito   Nesta quarta, a Polícia portuguesa voltará a interrogar o britânico Robert Murat, declarado suspeito do caso, diz o jornal Daily Mirror.   Os agentes que trabalham no caso querem esclarecer alguns aspectos do interrogatório. Segundo o jornal, Murat - de 33 anos e que tem uma casa no Algarve - não está preocupado com sua situação.   O novo investigador-chefe do caso Madeleine, Paulo Rebelo, acredita que a menor foi seqüestrada e ordenou uma revisão completa da investigação feita até agora.   Murat, que negou qualquer envolvimento no caso da menina, mora com a mãe em uma casa próxima ao Ocean Club. Desde o desaparecimento da menina, Kate e Gerry McCann, pais de Madeleine, iniciaram uma campanha através da imprensa para localizar a filha, pois acreditam que ela ainda está viva.   Em setembro, a Polícia portuguesa declarou os McCann suspeitos do desaparecimento da menina, o que eles negaram categoricamente.   Matéria ampliada às 11h09 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
MadeleineMcCannMurat

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.