Bactéria 'E. coli' faz Alemanha interditar escola primária

Uma escola primária do oeste da Alemanha foi interditada na terça-feira depois que alguns alunos contraíram a infecção causada pela bactéria "E. coli", responsável por um surto que já matou 48 pessoas.

REUTERS

28 de junho de 2011 | 17h57

Um novo caso foi notificado também na Suécia.

A escola na localidade de Altenbeken passará uma semana fechada, o que é mais ou menos o período de incubação da bactéria, segundo autoridades locais.

Até agora, mais de 4.000 pessoas na Europa e América do Norte foram contaminadas pela cepa rara da "E. coli", e todos os casos envolvem pessoas que viajaram para o norte da Alemanha ou consumiram produtos de lá. O ritmo do surto diminuiu consideravelmente desde o seu auge, em maio.

As autoridades sanitárias atribuem a epidemia a brotos comestíveis produzidos em uma fazenda orgânica de Hamburgo.

No caso da escola de Altenbeken, as autoridades acreditam que a falta de higiene entre alunos ou funcionários da cantina causaram a doença, e não os brotos contaminados.

(Por Eric Kelsey, reportagem adicional de Anna Ringstrom, em Estocolmo)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAECOLIFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.