Bebê jogado de prédio na Alemanha deixa hospital

Polícia suspeita que incêndio que matou nove seja criminoso, já que no local vivem imigrantes turcos

BBC Brasil,

07 de fevereiro de 2008 | 09h41

O bebê Onu Calar, que foi jogado pela janela de um prédio durante um incêndio na Alemanha, saiu do hospital nesta quinta-feira, 7. Ele passa bem e vai ficar com um outro tio enquanto seus pais se recuperam de uma intoxicação com fumaça em um hospital. Seu tio, que o lançou do terceiro andar, contou à imprensa alemã os momentos dramáticos antes de tomar a decisão de atirar a criança. Kamil Kaplan disse ao jornal alemão Bild que estava convencido que jogar o bebê pela janela era a única maneira de salvá-lo.  "Eu estava na janela com os pais do nenê", disse o turco de 32 anos. "Daí eu olhei para o policial lá embaixo e tive certeza que ele o apanharia." "Eu beijei o nenê e o deixei cair, e o policial o pegou", disse Kaplan, que depois foi resgatado pelos bombeiros com uma escada Magirus.  O irmão, duas primas e uma tia do nenê não tiveram a mesma sorte e morreram no incêndio que teve um total de nove vítimas fatais, todas de origem turca. Um porta-voz da polícia confirmou nesta quinta-feira que a criança recebeu alta do hospital em que estava sob observação.  Investigação  Mais de 50 policiais alemães estão investigando as causas do fogo na cidade alemã de Ludwigshafen junto a quatro peritos turcos que chegaram nesta quinta-feira ao local da tragédia.  Há suspeitas de que o incêndio tenha sido criminoso. Duas crianças sobreviventes disseram que viram um homem pondo fogo na entrada da casa. Além disso o mesmo prédio, que abriga um centro de cultura turca, já tinha sofrido uma tentativa de incêndio em agosto de 2006 com coquetéis molotov.  A polícia alemã disse que todas as possibilidades estão sendo investigadas, e que é cedo demais para determinar a causa da tragédia.  O primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan deverá visitar o local da tragédia nesta quinta-feira. Erdogan está fazendo uma visita oficial à Alemanha que já estava planejada há meses e decidiu incluir Ludwigshafen em seu roteiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaincêndiobebê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.