Belfast registra distúrbio após marcha protestante

A polícia usou jatos de água para dispersar nesta quinta-feira jovens católicos que se envolveram em tumultos por causa da passagem por seu bairro de protestantes que celebravam uma vitória militar do século 17 sobre as forças católicas.

Reuters

12 de julho de 2012 | 16h45

Protestantes unionistas (favoráveis à união com a Grã-Bretanha) realizam anualmente uma série de desfiles que são vistos como provocativos pelos nacionalistas que desejam ser parte de uma Irlanda unida.

As três décadas de violência entre católicos e protestantes da Irlanda do Norte praticamente terminaram com o acordo de paz assinado em 1998, mas Belfast continua sendo uma cidade dividida por critérios religiosos. A polícia tem apontado um recrudescimento na ameaça por parte de grupos contrários à paz.

Dezenas de jovens atiraram tijolos e bolas de sinuca em centenas de policiais da tropa de choque, numa confluência entre as zonas católica e protestante. Um manifestante avançou de carro sobre uma fila de jipes blindados da polícia, e outro ateou fogo a um carro.

O incidente começou logo após cerca de 15 membros da Ordem Protestante de Orange passarem em silêncio diante de lojas no bairro nacionalista de Ardoyne, escoltados por policiais.

Os participantes da marcha celebravam a vitória do rei Guilherme de Orange sobre o rei católico Jaime durante a batalha de Boyne, em 1690, que ajudou a consolidar a supremacia protestante na Irlanda.

Músicos típicos da Escócia se somaram a grupos locais que, ostentando faixas laranjas e bandeiras britânicas, fizeram desfiles por toda a província.

(Reportagem de Ian Graham)

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHABELFASTPROTESTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.