Berlusconi ataca juízes por investigá-lo em caso de propina

Silvio Berlusconi acusou promotores italianos na sexta-feira de ameaçar um senador com a prisão para forçá-lo a dizer que o bilionário ex-primeiro-ministro havia comprado a entrada dele em seu partido de centro-direita.

Reuters

01 de março de 2013 | 11h22

As acusações de propina contra Berlusconi ocorrem conforme partidos, incluindo o seu Povo da Liberdade, manobram para formar um governo, depois de uma eleição inconclusiva, que acabou com nenhum partido obtendo maioria no Parlamento.

Sergio De Gregorio, um senador que antes estava com o partido Itália de Valores, uniu-se ao partido de Berlusconi em 2006, forçando o colapso de uma coalizão que apoiava o primeiro-ministro Romano Prodi.

Promotores de Nápoles estão investigando acusações de que Berlusconi teria pago De Gregorio 3 milhões de euros para mudar de lado.

Em uma entrevista ao jornal Il Messagero, na sexta-feira, De Gregorio afirmou que disse aos juízes que recebeu dinheiro para se juntar à formação de Berlusconi, conhecida na época como Forza Italia, e derrubar o governo de Prodi.

Berlusconi disse que De Gregorio só havia feito essa declaração depois de juízes terem ameaçado prendê-lo.

"Foram certamente os promotores que colocaram De Gregorio na posição de ter que escolher entre ir para a prisão ou dizer algo contra mim", Berlusconi disse a repórteres em uma corte em Milão, onde ele comparecia a um outro julgamento por fraude.

Ele disse que seu partido organizaria uma manifestação no dia 23 de março para protestar contra a investigação dos magistrados.

(Reportagem de Stephen Jewkes)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIABERLUSCONIACUSADOPROPINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.