Berlusconi brinca de dar 'susto' em Merkel em cúpula bilateral

Premiê italiano se escondeu atrás de poste de iluminação e surpreendeu colega alemã dizendo 'cu-cu'

Ansa,

18 de novembro de 2008 | 14h31

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, quebrou o novamente o protocolo nesta terça-feira, 18, ao se esconder atrás de um poste de iluminação da cidade de Trieste e surpreender a chanceler alemã, Angela Merkel, dizendo "cu-cu". Merkel aceitou a brincadeira e com expressão sorridente estendeu os braços dizendo o nome do premier e cumprimentando-o cordialmente. A brincadeira ocorreu na Praça da Unidade em ocasião da cúpula ítalo-alemã em Trieste, noroeste da Itália.   Veja também: Assista ao vídeo no YouTube  Merkel não gosta que Sarkozy a toque o tempo todo, diz jornal   O episódio transcorre algumas semanas após Merkel ter revelado na Alemanha uma certa intolerância com relação ao presidente francês Nicolas Sarkozy, acusado-o de excessivas confidências e abraços. Berlusconi e Merkel se dirigiram então ao Palácio da Região, onde iniciaram os diálogos previstos para a cúpula bilateral, da qual também participam, pelo lado italiano, os ministros das Relações Exteriores, Franco Frattini, da Economia, Giulio Tremonti, dos Transportes, Altero Matteoli, e do Desenvolvimento Econômico, Claudio Scajola.   O premiê italiano também tem sido bastante criticado pela oposição por sua postura. Na semana passada, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou Roma, o deputado do Partido Democrata (PD) Sandro Gozi, ex-presidente do comitê Schengen, criticou a recepção destinada a Lula. "Não há justificativa para o fato de que o líder do maior país da América Latina tenha vindo em visita oficial à Itália e não tenha sido acolhido em sua chegada nem pelo ministro do Exterior nem por um ministro do mesmo patamar", disse.   Antes, na ocasião da eleição de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos, com a declaração de que o democrata é "jovem, belo e bronzeado", Berlusconi também irritou. O líder da bancada da Itália dos Valores (IDV), Massimo Donadi, o criticou destacando que "nunca antes um chefe de Governo foi tão baixo, com piadas de cabaré que revelam um racismo implícito". O premiê se defendeu dizendo que estava apenas brincando.

Tudo o que sabemos sobre:
BerlusconiMerkelItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.