Berlusconi defende a criação de um Exército Europeu

Premiê italiano diz que forças armadas da União Europeia reduziria 70% dos custos dos países-membros do bloco

ANSA,

18 de agosto de 2009 | 12h55

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse nesta terça-feira, 18, que a Europa deveria ter um Exército comum para acabar com "os gastos dos Estados e, assim, economizar 70% dos custos".

 

"Temos alguns Exércitos que representam gastos altos para os Estados e não conseguimos acordar a criação de um verdadeiro Exército europeu que nos faria economizar 70% dos custos", disse o premiê ao sair de um restaurante, onde assistiu o jogo do Milan, clube do qual é dono, contra a Juventus e jantou com os dirigentes do clube e com o treinador Leonardo.

 

A proposta da Europa para estruturar o seu próprio Exército já é desejada há algum tempo por vários líderes políticos do bloco, mas encontra barreiras na questão das soberanias nacionais.

 

De acordo com pesquisas, a ideia de uma potência militar europeia comunitária tem o apoio de 71% dos cidadãos dos países-membros da UE, mas segundo vários especialistas ela não se concretizará em breve, inclusive por uma questão orçamentária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.