Berlusconi não será interrogado por garotas de suas festas

De acordo com procurador, premiê ainda não é peça 'imprescindível na investigação' no caso

Efe,

30 de junho de 2009 | 11h38

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, não será interrogado pela Procuradoria de Bari pelo caso das jovens que o empresário Gianpaolo Tarantini recrutava para ir a festas em casas do premiê, informou nesta terça-feira, 30, o jornal "Corriere della Sera".

 

Veja também:

linkJustiça declara ilegais fotos da casa de Berlusconi

linkRevista publica fotos de jovens a bordo do iate de Berlusconi

linkQuatro jovens receberam para frequentar festas de Berlusconi

 

O procurador de Bari Emilio Marzano disse que seu escritório "tem por costume interrogar as pessoas que são imprescindíveis para a investigação e que, por enquanto, não há essa condição" no caso de Berlusconi.

 

Tarantini está sendo investigado por corrupção, suposta indução à prostituição e porte de drogas.

 

No entanto, Marzano ressaltou que, por enquanto, não se investiga se Tarantini levou cocaína às festas nas residências de Berlusconi.

 

A relação de Tarantini com Berlusconi veio à tona por causa da investigação sobre os negócios do empresário e de intercepções telefônicas nas quais se falava de supostos pagamentos às jovens convidadas às festas do primeiro-ministro.

 

Tarantini disse mais de uma vez que Berlusconi não sabia que as jovens eram pagas para ir a suas festas, e que esses pagamentos eram em conceito de reembolso pelas despesas de viagem, e não em troca de "prestações íntimas".

Tudo o que sabemos sobre:
BerlusconiItáliaescândalo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.