Berlusconi promete nova cidade para sobreviventes de tremor

Primeiro-ministro italiano recusa ajuda internacional, mas pede que Obama recupere patrimônios históricos

Agências internacionais,

07 de abril de 2009 | 12h38

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, prometeu nesta terça-feira, 7, que construirá uma nova cidade para as centenas de pessoas desabrigadas após o terremoto que atingiu a região da cidade de Áquila. Berlusconi reiterou que a Itália não precisa de ajuda internacional para socorrer as vítimas do tremor que atingiu a região de Abruzzo na madrugada de segunda-feira (hora local)

 

Veja também:

linkSobe para 207 número de mortos em terremoto na Itália

linkNão há vítimas brasileiras na Itália, diz Itamaraty

linkAutoridades ignoraram alerta de terremoto na Itália

linkPerda de patrimônio cultural amplia catástrofe em Áquila 

email Está na Itália? Envie seu relato

lista Brasileiros contam como enfrentaram o tremor

lista Cronologia: Piores tremores dos últimos anos

especialEntenda como acontecem os terremotos

mais imagens Fotos: Veja as imagens

video TV Estadão: Vídeo mostra a destruição em Áquila

 

Com centenas de pessoas obrigadas a deixar suas casas, Berlusconi anunciou um fundo especial para ajudar os sobreviventes na reconstrução de suas vidas. "O governo tem a missão de estar próximo de todos que estiverem em situação muito difícil por conta do terremoto, o desastre", afirmou. Berlusconi disse ainda que os cidadãos poderão reservar um lugar na nova cidade e que um estudo para a construção já está em andamento.

 

O governo italiano fornecerá financiamento, mas organizações privadas também devem contribuir, afirmou o premiê. "Será muito importante, e arrecadaremos toda a verba e fundos necessários assim que possível para a reconstrução, assim que superarmos qualquer burocracia", disse Berlusconi, afirmando que os trabalhos serão rápidos.

 

O premiê, que retornou à área mais atingida pelo desastre, afirmou ainda que a Itália "é capaz de responder sozinha às exigências". "Agradeço aos países estrangeiros por sua solidariedade, mas pedimos a eles que não mandem ajuda", disse Berlusconi. "Somos um povo altivo. Agradeço, mas somos suficientes sozinhos", ressaltou ele, que ontem anunciou um pacote de 30 milhões de euros para as vítimas.

 

Embora Berlusconi tenha garantido que não precisa de auxílio, ele pediu que o presidente dos EUA, Barack Obama, assuma a reconstrução da igreja de Áquila e dos bens culturais danificados durante o terremoto, durante uma "longa conversa por telefone". Berlusconi visitava os desabrigados na localidade de San Demetrio ne'Vestini, que também foi danificada pelo terremoto, quando recebeu o telefonema do presidente dos Estados Unidos. "Se os Estados Unidos quiserem dar um sinal tangível de sua proximidade com a Itália, poderiam assumir a responsabilidade da reconstrução dos bens culturais e da igreja", disse o primeiro-ministro aos jornalistas.

 

Perguntado pelos jornalistas sobre a resposta de Obama, Berlusconi afirmou que o presidente dos Estados Unidos disse que "é uma ótima ideia da qual falaremos" quando o primeiro-ministro da Itália viajar a Washington. O telefonema foi confirmado pela Embaixada dos Estados Unidos na Itália, que emitiu uma nota na qual acrescenta que Obama expressou a Berlusconi "suas profundas condolências, e as do povo americano, pelas vítimas do terremoto".

 

Berlusconi se misturou entre as pessoas de San Demetrio ne'Vestini e se dirigiu a um grupo de alpinistas que ajudaram a instalar as tendas na localidade: "Felicidades, trabalharam toda a noite, vocês são fortes". O primeiro-ministro insistiu às pessoas vão para o litoral: "é Páscoa, fiquem tranquilos, nós fazemos o inventário das casas danificadas, e vocês tiram alguns dias, nós pagamos".

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.