Berlusconi quer condenar imigrantes ilegais na Itália

Premiê envia projeto que prevê de seis a quatro anos de prisão para o delito; texto será analisado por ministros

Ansa e Reuters,

20 de maio de 2008 | 16h19

A imigração clandestina na Itália passará a ser considerada crime se depender do projeto de governo do primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, que será avaliado na quarta-feira, 19, em uma sessão de Nápoles. O projeto prevê uma pena de seis a quatro anos de prisão para o delito, segundo o último pacote de medidas de segurança. Veja também:Itália convoca Espanha para esclarecer críticas sobre imigração O texto, que nesta terça-feira, 20, à noite será analisado em uma reunião prévia do conselho de ministros, diz ser uma necessidade urgente combater a imigração ilegal e prevê o aumento das penas para estrangeiros em situação irregular que tenham cometido outros delitos. Na segunda-feira, 19, o chanceler da Itália, Franco Frattini, solicitou 19, ao embaixador italiano em Madri, Pasquale Terracciano, a convocação de um encontro interministerial para ilustrar "aos colegas espanhóis aquilo que desconhecem" sobre a política de imigração do novo governo italiano. Na semana passada, a Espanha repreendeu o governo italiano por sua restrição a suspeitos de imigração ilegal, classificando a prisão de centenas de estrangeiros como um ato racista e xenófobo.  A declaração foi uma resposta à prisão 268 estrangeiros como parte de uma operação de duração de uma semana, sendo que 53 foram levados à fronteira para serem expulsos do país.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaimigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.