Efe
Efe

Bilionário dos EUA faz história com 2ª ida ao espaço

O norte-americano Charles Simonyi deve chegar dentro de dois dias à Estação Espacial Internacional (ISS)

REUTERS

26 de março de 2009 | 09h06

O bilionário norte-americano Charles Simonyi subiu ao espaço nesta quinta-feira, 26, a bordo de um foguete russo, entrando para a história como o primeiro turista espacial a realizar duas vezes essa jornada épica.

 

Veja também:

linkTurista americano descansa antes de ir à ISS

linkRússia anuncia que não levará mais turistas espaciais para a ISS

linkObama e estudantes conversam com tripulantes da ISS

linkRota da ISS pode mudar para evitar colisão com lixo espacial

 

A nave Soyuz TMA-14 decolou sob céu nublado no cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 8h49 (hora de Brasília), e deve chegar dentro de dois dias à Estação Espacial Internacional.

 

"Estamos nos sentindo bem, tudo está indo bem", disse o cosmonauta russo Gennady Padalka após a decolagem, quando um brinquedo de pelúcia já flutuava na cabine devido à ausência de gravidade.

 

Simonyi, 60 anos, nascido na Hungria, acumulou grande parte da sua fortuna como criador de softwares da Microsoft. Ele viaja no apertado módulo da Soyuz em companhia de Padalka e do norte-americano Michael Barratt. O controle russo da missão informou que a nave entrou em órbita e que tudo transcorre bem.

 

Simonyi, que pagou um total de 60 milhões de dólares pelas duas viagens, disse que depois dessa pendura o macacão espacial. "Não posso voar pela terceira vez porque acabo de casar e tenho de passar o tempo com a minha família", afirmou ele numa entrevista coletiva prévia, por trás de um espaço vedado por vidro.

 

Na hora dos preparativos finais, Simonyi parecia confiante e se despediu de amigos que foram vê-lo partir no cosmódromo construído pela antiga União Soviética. Ao sair do hotel de manhã, ele sorriu e atirou um beijo para a esposa, a sueca Lisa Persdotter, 28 anos, que vestia um longo casaco de pele.

 

Simonyi volta à Terra no dia 7, junto com o norte-americano Michael Fincke e o russo Yuri Lonchakov, que estão vivendo há seis meses na estação orbital.

 

Uma fonte do setor espacial russo disse à Reuters que dois turistas podem ser levados ao espaço em 2011. A empresa Space Adventures admite que sua atividade foi afetada pela crise global.

 

"O número de bilionários caiu pela metade", disse à Reuters o executivo-chefe da empresa, Eric Andersen, ressalvando que a demanda agora parece ter se estabilizado. "É uma coisa de muito longo prazo. Você não levanta simplesmente um dia de manhã e decide ir ao espaço."

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAESPACOTURISTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.