Biografia dos membros mais destacados da delegação polonesa

Biografia dos membros mais destacados da delegação polonesa

Vítimas faziam parte do alto escalão político e militar do país

Agência Estado

10 de abril de 2010 | 18h49

VARSÓVIA - A comitiva do presidente da Polônia morto neste sábado, 10, em um acidente aéreo na Rússia era composta pela nata da oposição conservadora do país e todo o comando das forças armadas, o que terá um dramático impacto sobre o cenário político do país. Veja abaixo uma breve biografia das vítimas mais proeminentes divulgadas pelo escritório da presidência polonesa.

 

Lech Kaczynski, 60, presidente da Polônia, um conservador nacionalista que estava no poder desde 2005. Ele fundou do Partido Lei e Justiça, agora na oposição, e era o irmão gêmeo do líder do partido e ex-primeiro-ministro Jaroslaw Kaczynski.

 

Maria Kaczynska, 66, primeira-dama da Polônia, economista e tradutora de inglês e francês, estava à frente dos trabalhos de caridade do governo. Seu tio foi assassinado em Katyn.

 

General Franciszek Gagor, 58, comandante do Estado Maior do Exército desde fevereiro de 2006. De 2004 a 2006, foi representante da Polônia na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) em Bruxelas.

 

General Andrzej Blasik, 47, comandante da Força Aérea da Polônia desde 2007. Ele frequentou a escola militar da Universidade Aérea em Montgomery, Alabama (EUA), em 2005.

 

Vice-almirante Andrzej Karweta, 51, comandante-chefe da Marinha desde novembro de 2009. De 2002 a 2005 serviu no Comando Aliado no Atlântico (SACLANT, na sigla em inglês) em Norfolk, Virginia (EUA).

 

General Tadeusz Buk, 49, comandante das forças terrestres desde setembro de 2009. Serviu em 2007 como comandante das tropas polonesas no Iraque.

 

Slawomir Skrzypek, 46, presidente do Banco Nacional da Polônia desde 2007. Colega de longa data do presidente ocupou o cargo de vice-prefeito de Varsóvia durante a gestão de Lech Kaczynski entre 2002-05.

 

Aleksander Szczyglo, 46, chefe do Escritório Nacional de Segurança, foi ministro da Defesa durante o governo do irmão gêmeo de Kaczynski.

 

Jerzy Szmajdzinski, 58, vice-presidente do parlamento, um político de esquerda e candidato da oposicionista Aliança Democrática da Esquerda para a eleição presidencial deste ano. Foi ministro da Defesa na época da guerra no Iraque.

 

Ryszard Kaczorowski, 90, foi o último presidente da Polônia no exílio em Londres, de 1989-90. Em dezembro de 1990 passou a insígnia da presidência para o primeiro presidente eleito democraticamente na história do país, Lech Walesa.

 

Janusz Kurtyka, 49, historiador que desde 2005 comanda o estatal Instituto Nacional Remembrance, que investiga os crimes da era comunista.

 

Anna Walentynowicz, 80, ativista do movimento Solidariedade. Sua demissão em agosto de 1980 do estaleiro Lenin em Gdansk desencadeou a greve dos trabalhadores que conduziu à criação do movimento de liberdade, do qual se tornou um importante membro.

 

Piotr Nurowski, 64, chefe do Comitê Olímpico da Polônia.

 

Krystyna Bochenek, 56, vice-presidente do parlamento, era membro do partido do primeiro-ministro Plataforma Cívica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.