Boca-de-urna confirma reeleição do presidente da Geórgia

Porta-voz confirma vitória de Saakashvili; pleito foi convocado após protestos da população contra o governo

Agências internacionais,

05 de janeiro de 2008 | 16h04

O presidente Mijail Saakashvili venceu "claramente" as eleições presidenciais antecipadas que aconteceram neste sábado, 5, segundo confirmou um porta-voz do governo. Pesquisas de boca-de-urna também garantiram que o chefe de governo foi reeleito com cerca de 52% dos votos.   De acordo com os dados da Exit Polls-2008, pesquisa encomendada por quatro redes de televisão locais, o candidato da oposição unificada, Levan Gachechiladze, dado como ganhador por outra pesquisa, teria obtido 28,5% dos votos.   A votação antecipada foi convocada pelo presidente Mikhail Saakashvili em novembro, após violentos protestos contra o governo, que levaram o líder da Geórgia a impor estado de emergência durante uma semana.   Saakashvili, advogado de 40 anos e fiel aliado dos EUA, era favorito para vencer a votação. Cerca de 3,3 milhões de eleitores foram convocados às urnas para escolher o novo chefe do Estado entre sete candidatos.   Antes do anúncio dos resultados da pesquisa, a oposição denunciou que a pesquisa não era confiável, pois tinha sido encomendada pela imprensa que apóia Saakashvili. "Os dados da pesquisa são ridículos e não podemos aceitá-los", disse o deputado conservador Kaja Kukava, membro do Estado-Maior eleitoral de Gachechiladze. O legislador opositor acrescentou que com certeza "deve haver um segundo turno"."Ganhamos e vamos comemorar nossa vitória de acordo com os resultados oficiais", disse a ex-ministra de Assuntos Exteriores e dirigente da oposição unificada, Salomé Zurabishvili.A lei eleitoral georgiana determina que se nenhum candidato à Presidência conseguir a maioria absoluta, os dois mais votados concorrem a um segundo turno.Além de escolher o presidente, os georgianos foram convocados a votar em plebiscitos sobre a entrada do país na Otan e a convocação de eleições parlamentares para o primeiro semestre.O plebiscito sobre a adesão à Aliança Atlântica, um dos principais objetivos da política externa de Saakashvili e defendido por todos os candidatos, com exceção de Sarishvili, tem caráter consultivo.De acordo com a CEC, as eleições presidenciais foram supervisionadas por mais de mil observadores estrangeiros, inclusive 340 membros da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (Osce).

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesGeórgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.