Nikos Arvanitidis/EFE/EPA
Nikos Arvanitidis/EFE/EPA

Bomba inativa da 2ª Guerra Mundial provoca retirada de ao menos 70 mil na Grécia

Especialistas do exército levaram cerca de 30 minutos para desativar o detonador

O Estado de S. Paulo

12 Fevereiro 2017 | 10h40

A descoberta de uma bomba inativa da segunda guerra mundial na região de Tessalônica, na Grécia, na última semana, causou a evacuação de ao menos 70 mil moradores para operação de neutralização do artefato, realizado neste domingo.

Para a retirada da bomba, de cerca de 250kg, o exército cercou um raio de 1.900 metros e retirou, casa por casa, todos os moradores da região desde as 7h do horário local (3h de Brasília). Deficientes físicos, idosos e pessoas com mobilidade reduzida começaram a ser evacuadas na tarde da última sexta-feira. Um grupo de refugiados que vivia em uma fábrica abandonada na região também foi retirado para a realização da operação.

Seis especialistas do exército levaram cerca de 30 minutos para a desativação do detonador, de acordo com o prefeito local, Apostolos Tzitzikostas. A bomba seguirá para um centro militar, onde ocorrerá a destruição.

A bomba foi encontrada durante escavações em um posto de gasolina, enterrado a 5,5 metros de profundidade. Não foi divulgado se o artefato é de fabricação dos países aliados ou da Alemanha. A Grécia sofreu com a ocupação nazista entre 1941 e 1944. /Com informações da AP.

Mais conteúdo sobre:
Grécia Bomba Segunda Guerra Mundial

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.