Bombeiros tentam controlar incêndios no sul da Córsega

Chamas avançam com rapidez e, em alguns casos, chegam a ameaçar povoados locais

EFE

26 de julho de 2009 | 06h59

Os bombeiros tentavam neste domingo aproveitar as condições meteorológicas mais propícias para conter um dos incêndios que seguia avançando no sul da Córsega, onde desde quinta-feira seis mil hectares já queimaram.

 

"Temos neste domingo uma meteorologia muito mais favorável", disse o responsável dos bombeiros na Córsega do Sul, Pierre Salinesi, que explicou que o objetivo é cercar a totalidade do incêndio que afetou em particular o município de Aullène e que desde sábado vinha causando "múltiplos problemas, porque os focos estão perto do povo".

 

Salinesi explicou à emissora de rádio "France Info" que "esta manhã a situação melhorou" e o que se pretende "é apagar o foco de incêndio que se propaga em direção a um porto" com helicópteros, com o pessoal em terra e com hidroaviões.

 

A meteorologia prevê que amanhã o vento volte a soprar, como tinha ocorrido nos últimos dias, ressaltou o capitão de bombeiros. Desde quinta-feira as chamas avançavam sem controle e chegaram a ameaçar o entorno imediato do povo de Aullène, uma área devastada na qual 3.500 hectares de floresta foram carbonizados.

 

Os outros dois incêndios de entidade registrados também ao sul da Córsega se encontravam desde sábado sob controle, embora nas últimas horas tenham sido declarados novos focos na estrada de Sartène, o que leva a pensar que foram provocados.

 

Desde sexta-feira três supostos piromaníacos foram detidos na Córsega a partir de denúncias anônimas à Gendarmaria, que se somam a outros três nos dias precedentes.

Tudo o que sabemos sobre:
FRANÇAINCÊNDIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.