Bordel de Berlim oferece desconto para ciclistas

Um bordel de Berlim surgiu com um novo estilo de negócios para diminuir o impacto da crise econômica global e alcançar novos clientes ao mesmo tempo -- oferecendo desconto a fregueses que chegam de bicicleta.

REUTERS

13 de julho de 2009 | 13h11

"A recessão atingiu a nossa indústria sólida", disse Thomaz Goetz, dono do bordel "Maison d'envie".

"Obviamente nós esperamos que o desconto atraia mais pessoas", acrescentou. "É bom para os negócios, é bom para o meio ambiente -- e é bom para as meninas."

Os clientes que chegam de bicicleta ou aqueles que comprovarem que usaram o transporte público ganham 5 euros (7 dólares) de desconto dos costumeiros 70 euros (100 dólares) de taxa por 45 minutos de sessão, disse Goetz à Reuters. Ele disse que ofertas amigáveis ao meio ambiente têm funcionado.

"Nós temos cerca de 3 a 5 novos clientes que chegam diariamente para aproveitar o desconto", ele disse, acrescentando que o abatimento verde tem ajudado a aliviar o trânsito e o acúmulo de estacionamentos lotados na vizinhança.

A Alemanha é um dos poucos países no mundo onde a prostituição é legal. Tem cerca de 400 mil prostitutas que, desde 2002, possuem permissão de trabalharem com contratos formais.

(Reportagem de Caroline Copley)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHABORDELCICLISTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.