PRU / AFP
PRU / AFP

Brexit: União Europeia discute adiamento de prazo pedido por Boris Johnson

No sábado a noite, primeiro-ministro britânico foi convencido a escrever carta pedindo adiamento do prazo mesmo após acordo firmado em Bruxelas

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2019 | 09h05

Líderes dos 27 países-membros da União Europeia se reuniu na manhã deste domingo, 20, para discutir a saída do Reino Unido do bloco. No último sábado, o país pediu um novo adiamento do prazo do Brexit, após uma derrota de Boris Johnson. Embora o primeiro-ministro britânico recusasse o adiamento, foi convencido a escrever uma carta à UE solicitando o adiamento. Dois dias antes, em Bruxelas, o Reino Unido já havia desenhado um acordo para a saída do bloco. 

 

Durante a reunião deste domingo, que durou cerca de quinze minutos, os líderes defenderam a ratificação do acordo concluído nesta semana entre Londres e Bruxelas. A ratificação pelo Parlamento Europeu pode ocorrer nesta semana em sessão plenária em Estrasburgo.

Os deputados britânicos aprovaram em setembro uma lei chamada Benn Act obrigando Johnson a pedir um novo adiamento caso o acordo não fosse aprovado com acordo. Apesar da ameaça de prisão que consta na lei, Johnson insistia que preferia a morte a pedir um novo adiamento do Brexit.

O legislador britânico Oliver Letwin acredita que o primeiro-ministro Boris Johnson provavelmente conseguirá acordo sobre o Brexit por cima do limite. A declaração de Letwin foi dada neste domingo, 20. Letwin, que frustrou os planos de Johnson de aprovar um acordo no sábado, propondo uma emenda que retinha a aprovação do acordo até que a legislação formal de ratificação fosse aprovada, disse que não proporia mais emendas. "Não haverá mais alterações de Oliver Letwin na próxima semana, porque não precisa, estou apoiando o projeto", disse à BBC. Letwin foi expulso do partido conservador de Johnson por suas tentativas de bloquear uma saída sem acordo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.