Brics se posicionam contra sanções ocidentais, diz chanceler russo

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta terça-feira que os Brics se posicionaram contra medidas unilaterais econômicas e políticas de terceiros países, mas que as nações do bloco não estão buscando confronto com o Ocidente.

REUTERS

15 Julho 2014 | 15h07

Falando a repórteres em Fortaleza depois de um encontro entre os líderes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, Lavrov afirmou que os Brics estão optando por uma abordagem comum para a resolução de problemas mundiais.

"A cúpula confirmou que, ao se declararem contra medidas unilaterais na economia e política mundial, os membros dos Brics não estão buscando confronto, mas estão se oferecendo para analisar abordagens coletivas para resolver todas as questões (globais)", disse ele a repórteres na cúpula dos Brics.

Em resposta à anexação da região ucraniana da Crimeia pela Rússia, os Estados Unidos impuseram sanções contra o país, incluindo congelamento de bens e proibição de concessão de vistos a autoridades e empresários considerados próximos do presidente Vladimir Putin.

A cúpula dos Brics foi amplamente vista como uma oportunidade para que Putin elevasse sua influência geopolítica em um momento de isolamento imposto por países ocidentais por causa da crise na Ucrânia.

(Reportagem de Alexei Anishchuk)

Mais conteúdo sobre:
RUSSIA BRICS LAVROV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.