Brown alerta Irã que 'pressionará' por novas sanções

Durante encontro com premiê israelense, líder britânico confirma que UE deve impor novas restrições a Teerã

Associated Press e Efe,

23 de outubro de 2007 | 13h30

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, advertiu o Irã de que o Reino Unido "pressionará" para a imposição de novas sanções ao regime de Teerã, se este não renunciar a suas ambições nucleares. O alerta foi feito após o encontro do chefe de governo britânico com o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, nesta terça-feira, 23.  Veja também:Irã diz que não voltará atrás nos planos nucleares  "Trabalharemos através das Nações Unidas para conseguir isso", disse o líder trabalhista, em entrevista coletiva. "Nós preparamos também sanções européias. Queremos deixar claro que não apoiamos as ambições nucleares daquele país".  Olmert confirmou a mensagem do líder britânico. "Sanções econômicas são efetivas. Elas têm um impacto importante, mas não são suficientes. Por isso devem ser ampliadas. Até onde? Até o Irã interromper o seu programa nuclear". Enquanto os dois chefes de governo se encontraram em Londres, o chefe da política externa da União Européia (UE), Javier Solana, se reuniu com o novo líder das negociações nucleares do Irã, Saeed Jalili. Este foi o primeiro encontro do premiê israelense desde Brown assumiu o cargo, em junho, e faz parte do esforço internacional de Jerusalém para angariar apoio à aplicação de sanções ao governo iraniano. O país alega que Teerã representa uma ameaça e pode ser atingido militarmente se a comunidade internacional permitir o desenvolvimento de armas nucleares. Os encontros de Olmert na Europa também antecedem a conferência da paz para a discussão da formação do Estado Palestino. A cúpula deve promover um esforço internacional para que palestinos e israelenses cheguem a um consenso e estabeleçam um acordo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.