Brown diz que mais tropas britânicas deixarão o Iraque em 2009

Primeiro-ministro afirma que espera 'mudança' significativa na missão militar no país nos próximos meses

Efe e Associated Press,

22 de julho de 2008 | 11h11

O Reino Unido deve retirar parte dos soldados do Iraque a partir do início de 2009 por conta da melhora na segurança do país, segundo afirmou o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, nesta terça-feira, 22. O premiê previu ainda "uma mudança fundamental" da missão do Reino Unido nos primeiros meses do próximo ano.   Londres possui cerca de 4,100 soldados no Iraque, grande parte baseada na cidade de Basra. Segundo o premiê britânico, as tropas estão completando os trabalhos de treinamento de 20 mil militares iraquianos e devem focar em programas de educação militar e equipes especializadas.   "Enquanto completamos estas tarefas e continuam os avanços nestas diferentes áreas, continuaremos reduzindo o número de tropas britânicas no Iraque. Certamente, as decisões futuras estarão baseadas na assessoria de nossos comandantes militares no terreno", disse.   No fim de semana passado, em uma visita surpresa ao Iraque, o premiê se negou a fixar "calendários artificiais" de retirada das tropas britânicas do país árabe, onde 176 militares britânicos morreram desde o começo da invasão, em 2003. No entanto, pareceu preparar o caminho para uma eventual retirada, ao anunciar uma espécie de "mapa do caminho" de quatro pontos.   Segundo Brown, a retirada pode começar no início de 2009, mas ele não especificou números. "Podemos esperar uma mudança fundamental de missão nos primeiros meses de 2009". A retirada depende, de acordo com o premiê, do progresso no treinamento das forças iraquianas, da realização de eleições provinciais no Iraque no máximo no início de 2009, do avanço da reconstrução econômica e da criação das condições para que os iraquianos possam assumir o controle do aeroporto de Basra.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.