Brown ressalta ´solidez´ de relações entre Reino Unido e EUA

Declaração é reação a discurso de secretário que fez críticas veladas à política externa de Bush

Efe

13 Julho 2007 | 18h10

Um discurso de um secretário de governo britânico proferido nesta sexta-feira, 13, gerou mal-estar nas relações entre Washington e Londres, e foi logo contornado pelo próprio primeiro-ministro britânico. Gordon Brown, que assumiu o posto do ex-premiê Tony Blair há algumas semanas, procurou apaziguar as declarações do secretário de Cooperação Internacional, Douglas Alexander, destacando a "solidez" dos vínculos entre o Reino Unido e os EUA.O premiê, que se reunirá "dentro de algumas semanas" com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, na Casa Branca, lembrou que os laços entre ambos os países se baseiam em valores compartilhados.Em declarações à emissora britânica Rádio 5 Live, Brown disse que a relação "é construída com as coisas que compartilhamos, os mesmos valores duráveis que versam sobre a importância da liberdade, a oportunidade e a dignidade do indivíduo".Os comentários do chefe do governo britânico acontecem após as reações provocadas por um discurso de Alexander em Washington, que foi visto pela imprensa britânica como um sinal de distanciamento em relação à política externa americana. Esta foi a primeira vez que um membro do gabinete de Brown faz um pronunciamento no exterior. Alexander disse que a força de uma nação deveria ser medida não pelo que pode destruir, mas pelo que pode construir.Ele afirmou ainda que é tempo de formar novas alianças, baseadas em valores comuns, que respeitem organismos internacionais, e disse que o isolacionismo "simplesmente não funciona em um mundo interdependente".O porta-voz oficial de Brown qualificou de "bobagem" a interpretação dada por alguns meios de imprensa às palavras de Alexander.Além de suas declarações à emissora, o primeiro-ministro ressaltou a "solidez" da relação entre ambos os países em uma visita a um colégio londrino, onde apresentou uma campanha educativa com a qual pretende impulsionar o esporte competitivo nos colégios, frente aos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres.Em resposta às perguntas de jornalistas americanos, Brown ressaltou que a relação entre o Reino Unido e EUA é "sólida e se reforçará nos anos que virão"."Juntos, acho que podemos conseguir um futuro mais pacífico e mais próspero", acrescentou Brown.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.